domingo, 26 de agosto de 2007

Papel do homem nas tarefas domésticas.

Recentemente no Globo Online (17/08/2007) foi publicada uma pesquisa que confirma o predomínio do machismo nas relações domésticas ainda hoje em nossa sociedade. Impressionante que tais dados também são significativos no meio evangélico.

Não é de hoje que o papel feminino no meio cristão, e especialmente evangélico, tem sido muitas vezes alvos de repressão e desqualificação. Nos meios mais ortodoxos interpretações forçadas do texto bíblico servem ainda para manter a mulher sob a égide e poder masculino, aumentando a carga sobre elas.

Os dados estatísticos do IBGE confirma o que as mulheres já sabiam: homem dá muito trabalho. A pesquisa mostra que a existência de um cônjuge masculino dentro de casa representa um aumento de cerca de duas horas semanais nos afazeres domésticos das mulheres. E revela que os homens com maior grau de escolaridade são os que mais ajudam nas tarefas domésticas. E que é no Nordeste brasileiro a região onde eles menos ajudam.

De certa forma o meio eclesiástico reflete o arranjo dos lares e da sociedade em geral. Em muitos casos, a mulher cristã acumula funções domésticas, cuidados com a prole, deveres profissionais, deveres na igreja e quando não ainda numa formação acadêmica.

“Muitos maridos não compreendem e não apreciam suficientemente os cuidados e perplexidades que suas esposas suportam, geralmente confinadas o dia todo à incessante rotina dos deveres domésticos. Freqüentemente eles retornam ao lar com a fisionomia carregada, não trazendo alegria ao círculo da família. Se a refeição não saiu na hora, a fadigada esposa, que é a um tempo, faxineira, enfermeira, cozinheira e ama, é saudada com censuras.”

A pesquisa, anteriormente citada, também confirma que o fato de trabalhar fora de casa não liberou as mulheres dos afazeres domésticos. No país, 109,2 milhões de pessoas de 10 anos ou mais de idade declararam realizar tarefas domésticas. Destas 71,5 milhões (65,4%) são mulheres e 37,7 milhões (34,6%) são homens. O tempo despendido diferencia-se significativamente: eles 8,2 e elas, 14,3 horas semanais.

" Na faixa etária de 25 a 49 anos de idade, onde a inserção das mulheres no mercado de trabalho é maior e a presença de filhos pequenos maior, 94% das brasileiras realizam trabalhos domésticos"

As mulheres casadas têm maior jornada com afazeres domésticos e dedicam a este trabalho o triplo do tempo gasto pelos homens, ou seja, 31,1 horas semanais contra 10,9 horas deles. Entre as não-casadas, o tempo médio é de 22 horas semanais.

Se aumentou a necessidade da mulher contribuir profissionalmente com recursos financeiros para a manutenção de sua família, por outro lado não vemos aumentar a participação masculina nos afazeres domésticos em igual percentual. Se bem que o número de homens que ajudam nos deveres domésticos têm aumentado. Por incrível que pareça parte deste problema se dá pela própria atuação da mulher impedindo a ajuda dos homens da casa (filhos e esposo), mantendo a exclusividade e prioridade dos deveres com a ala feminina.

A desigual distribuição dos trabalhos domésticos começa a se delinear já na infância. Na população entre 10 e 17 anos, a diferença já aparece: enquanto 82,6% das meninas nessa faixa etária ajudam nas tarefas da casa, somente 47,4% dos meninos se dedicam a esse trabalho caseiro:
- Há uma construção cultural de que cabe às meninas essas atividades. Mesmo com carga maior, elas têm rendimento escolar melhor, fazem mais tarefas domésticas e, mesmo quando estão no mercado de trabalho, a carga de serviço é maior que a dos meninos (oito horas semanais para os meninos ocupados e 14,1 horas para meninas ocupadas - diz Cristiane Soares, técnica da Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE.

Como religiosos como podemos mudar esses números em nosso meio? Será que os homens e pais poderiam atuar de maneira diferente em suas casas? É dito aos maridos e pais:

“A vida da mãe nas humildes ocupações domésticas é de constante sacrifício, tornando-se mais dura se o marido deixa de apreciar as dificuldades da posição da esposa e não lhe dá o seu apoio.” (Signs of the Times, 6 de dezembro de 1877.)

“O pai não deve omitir-se de sua parte na obra de educar os filhos. Ele deve participar das responsabilidades. Há obrigações para ambos, pai e mãe.”

Creio que num tempo de reavaliações nos papéis sócio-sexuais, os homens cristãos devam assumir seu papel de ajudador nos deveres domésticos, aliviando o fardo da parte feminina.

11 comentários:

Anônimo disse...

A mulher deve ser submissa ao homen.

Lagrange disse...

Veja só:
as meninas, que fazem os trabalhos domésticos, é que vão melhor na escola.Isso prova que dar deveres a um adolescente o torna mais responsável.

Anônimo disse...

É incrivel, o assunto é de uma clareza e importancia tão grande, mas infelizmente como podemos ver ainda existem comentários infelizes e machistas como o que vemos aqui. Confirmando a ignorância e inflexibilidade predominante no meio cristão! Coisa que a bíblia NUNCA concordou!

Anônimo disse...

É irritante ler alguns comentários, chegando a beira da bossalidade machista! Mulheres cristãs se manifestem! Precisamos valorizar o verdadeiro amor e companheirismo nos lares, chega de desrespeito as mulheres!

feliz em ser mulher!!! disse...

A matéria me atraiu, o conteúdo muito bom, mas o que me deixou triste foi saber que muitas mulheres não permitem que seus cônjuges ou filhos tomem sobre si responsabilidades domésticas!
Se somos uma familia, então as tarefas tbm devem ser divididas entre todos, muito mais quando a mulher trabalha fora para ajudar no orçamento da casa.
A mudança deve começar dentro de nós mulheres, na nossa mente,de que
os homens tbm tem um papel a desempenhar na vida doméstica, principalmente se for cristão!

Bia disse...

Me surpreendo cada vez que me deparo com uma nova postagem sua!
parabéns, ótima abordagem do tema

Anônimo disse...

Eu achei o máximo essa materia, você esteve aqui na Fadminas e falou sobre isso! Agora meu marido está me ajudando em casa!Ele disse que não tinha parado para pensar sobre o quanto eu trabalho em casa sozinha e ainda trabalho fora. Estou muito feliz,obrigada.

Anônimo disse...

As mães precisam dar atividades domésticas,desde tenra idade, tanto para meninas quanto para meninos.E precisam conversar mais sobre a questão da masculinidade. O que afeta e o que não afeta o menino nesta questão.Porque até aos nossos dias,o que se fala é que isso deixa o menino afeminado, isso devido à sociedade machista, e as mães tem uma parcela de culpa aí.

Anônimo disse...

Os cristão tem grande responsabilidade ante o mundo. A mesma que o povo de Israel tinha antes de se voltar contra o Senhor: Mostrar ao mundo o caráter e as boas obras de Cristo.
A família, instituição sagrada, deve ser uma simulação do ambiente celestial, e como tal deve estar repleta de cooperação, compreensão e acima de tudo amor.No lar não não podem subsistir sentimentos de superioridade, egocentrismo ou orgulho próprio, nenhum destes sentimentos vem de Deus e sim do Maligno. Qualquer esposo ou filho que proceder de maneira machista estará agindo inspirado por forças negativas, privando a eles próprios da harmonia resulatante da postura cooperantiva.

Anônimo disse...

Sou cristã, trabalho fora e além disso faço bicos para ajudar no sustento da casa, pois meu marido ganha pouco e não tem nenhuma profissão que lhe dê opção de realizar bicos. Por isso eu me destituí dessa ideia machista que trabalho doméstico é da mulher, ele ajuda bastante e coloco os filhos, dois meninos e uma menina para ajudar, quando podem, os dois mais velhos trabalham e fazem faculdade e largo o serviço e vou deitar quando estou muito cansada. Quem tiver achando ruim que vá fazer. Cansei de trabalhar como um burro de carga, quando mudei, vi que os outros componentes da casa começaram a mudar.

Anônimo disse...

Sou cristã, trabalho fora e além disso faço bicos para ajudar no sustento da casa, pois meu marido ganha pouco e não tem nenhuma profissão que lhe dê opção de realizar bicos. Por isso eu me destituí dessa ideia machista que trabalho doméstico é da mulher, ele ajuda bastante e coloco os filhos, dois meninos e uma menina para ajudar, quando podem, os dois mais velhos trabalham e fazem faculdade e largo o serviço e vou deitar quando estou muito cansada. Quem tiver achando ruim que vá fazer. Cansei de trabalhar como um burro de carga, quando mudei, vi que os outros componentes da casa começaram a mudar.