domingo, 1 de abril de 2007

Abuso Espiritual

Adaptado do artigo por David Henke

Organização Estrutural: O abuso espiritual pode ocorrer em qualquer organização estrutural, mas as estruturas mais autoritárias são ainda mais suscetíveis ao abuso espiritual sistemático.

Definição: Abuso espiritual é o uso impróprio de qualquer posição de poder, liderança, ou influência para satisfazer os desejos egoístas de um líder religioso.
Às vezes o abuso se origina em posições doutrinárias. Às vezes ele ocorre porque os interesses pessoais de um líder, ainda que legítimos, sejam satisfeitos de maneira ilegítima. Sistemas religiosos espiritualmente abusivos são comumente descritos como legalistas, controladores mentais, religiosamente viciadores, e autoritários.


Características Comuns:

1. Autoritarismo: A característica mais evidente de um sistema religioso abusivo, ou de um líder abusivo, é a ênfase excessiva em sua autoridade. Normalmente o grupo se diz ter sido estabelecido diretamente por Deus, e, portanto, seus líderes se consideram como tendo o direito de comandar seus seguidores.

Tal autoridade, supostamente, é derivada da posição que ocupam. Em Mateus 23:1–2 Jesus disse que “na cadeira de Moisés, se assentaram os escribas e os fariseus”, uma posição de autoridade espiritual. Ainda que outros termos sejam usados, essa posição, nos grupos abusivos, é de poder, e não de autoridade moral. Àqueles que se submetem incondicionalmente, são prometidas bênçãos espirituais. A eles é dito que devem se submeter completamente, sem o direito de questionar os líderes; se os líderes estiverem errados, isso é problema deles com Deus, e Deus ainda assim abençoará àqueles que se submetem incondicionalmente.

2. Aparência Externa: O sistema religioso abusivo procura sempre manter uma aparência de santidade. A história do grupo ou organização quase sempre é distorcida para se dar a impressão de que ela tem um relacionamento especial com Deus. Os julgamentos incorretos e as índoles duvidosas de seus líderes são negados ou encobertos para que sua autoridade não seja questionada, e para manter as aparências. Padrões legalistas de pensamento e comportamento, impossíveis de serem mantidos, são impostos aos membros. Seu fracasso em manter tais padrões é usado como constante lembrete de que eles são inferiores aos líderes, e portanto devem se submeter a eles. Religião abusiva é, essencialmente, legalismo.

A religião abusiva também é paranóica. Apenas uma imagem positiva do grupo é apresentada àqueles que não fazem parte dele, porque a verdade sobre o sistema religioso abusivo seria obviamente rejeitada se fosse conhecida. Isso é justificado com base na alegação de que pessoas “mundanas” não entenderiam a religião, e portanto, eles não têm o direito de saber. Isso leva com que membros escondam das pessoas que não são membros algumas doutrinas, regras, e procedimentos internos do grupo. Principalmente os líderes, normalmente, mantêm segredos que não divulgam a suas congregações. Esse sigilo está baseado na desconfiança geral dos outros, porque o sistema é falso e não pode resistir a escrutínios.

3. Proibição de Críticas: O sistema religioso, por não ser baseado na verdade, não pode permitir questionamentos, dissensões, ou discussões aberta sobre questões. A pessoa que questiona se torna o próprio problema, ao invés da questão que ela levantou. As resoluções sobre qualquer questão vêm diretamente do topo da hierarquia. Qualquer tipo de questionamento é considerado como desafio à autoridade. O pensamento autônomo é desencorajado, sob a alegação de que ele leva à dúvida, que por sua vez é vista como sendo falta de fé em Deus e em seus líderes ungidos. Desse modo, os seguidores procuram controlar seus próprios pensamentos, por medo de que possam estar questionando Deus.

4. Perfeccionismo: Todas as bênçãos, nos sistemas abusivos, vêm através da desempenho próprio. O fracasso é seriamente condenado, e portanto a única alternativa é a perfeição. O membro, enquanto crer que esteja tendo sucesso em manter os requeridos padrões, normalmente exibe orgulho, elitismo, e arrogância. Entretanto, quando os tropeços e fracassos inevitavelmente ocorrem, o membro muitas vezes naufraga na fé. Aqueles que fracassam nos seus esforços são vistos como apóstatas, fracos, e são normalmente descartados pelo sistema.

5. Desequilíbrio: Os grupos abusivos têm de se distinguir de todos os outros grupos religiosos para que possam alegar serem únicos e especiais para Deus. Isso normalmente é feito através de uma ênfase exagerada em posições doutrinárias menos centrais (como por exemplo, profecias sobre os últimos dias), ou através de legalismo extremo, ou uso de métodos peculiares de interpretação bíblica. Dessa forma, suas conclusões e crenças peculiares são exibidas como prova de que são únicos e especiais para Deus.


Algumas Respostas Bíblicas

Existem vários exemplos de abuso espiritual na Bíblia. No livro de Ezequiel, por exemplo, Deus descreve e condena os “pastores de Israel” que apascentam a si mesmos e não as ovelhas, que não cuidam das doentes, desgarradas e perdidas, mas dominam sobre elas com rigor e dureza (Ez. 34:1–10). Jesus reagiu com indignação contra os cambistas no Templo, que exploravam os fiéis (Mt. 21:12–13; Mc. 11:15–18; Lc. 19:45–47; Jo. 2:13–16), e também contra aqueles que se importavam mais com suas próprias interpretações da Lei do que com o sofrimento humano (Mc. 3:1–5). Em Mateus 23, Jesus nos dá uma importante descrição dos líderes espirituais abusivos. Em Gálatas, Paulo argumenta contra aqueles que queriam impor um cristianismo legalista, subvertendo a mensagem do evangelho. Existem muitos outros exemplos na Bíblia.
Jesus Cristo era Deus encarnado, a segunda Pessoa da Trindade, o Criador do universo. Ele, obviamente, tem a mais alta e soberana autoridade espiritual. Ainda assim, Jesus não usou essa autoridade para subjugar seus discípulos; ele não abusou de sua autoridade para colocá-los sob o jugo de regras e regulamentos legalistas. Ao contrário, ele disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Mt. 11:28–30).

Nem tampouco Jesus procurava manter as aparências externas. Ele comia com publicanos e pecadores (Mt. 9:10–13). Aos fariseus legalistas, Jesus aplicou as palavras de Isaías: “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens” (Mt. 15:9). Ele condenou sua atitude: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora, se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia! Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas, por dentro, estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade” (Mt. 23:27–28).

Jesus não era paranóico como os líderes abusivos. Seu ministério era transparente ao publico (Jo.18:19–21). Ele não tinha nada a esconder. Jesus não só criticou os líderes religiosos por suas doutrinas errôneas (Mt. 15:1–9; 23:1–39; etc.), mas também, quando criticado, ele não os silenciou, mas deu-lhes respostas bíblicas e racionais às suas objeções (e.g., Lc. 5:29–35; 7:36–47; Mt. 19:3–9).

Jesus, ainda que ensinasse a Lei perfeita de Deus, colocava as necessidades legítimas das pessoas acima de regras ou regulamentos legalistas (Mt.12:1–13; Mc. 2:23–3:5). Ainda que nenhum ser humano seja absolutamente perfeito nessa vida (1 Jo. 1:8), podemos saber que já temos vida eterna (1 Jo. 5:10–13; Jo. 5:24; 6:37–40; Rm. 8:1–2).

Os fariseus eram um exemplo de líderes espirituais abusivos: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” (Mt. 23:23).


Efeitos do Abuso Espiritual

O abuso espiritual tem um efeito devastador na vida das pessoas. Elas normalmente depositam um alto grau de confiança em seus líderes, os quais deveriam honrar e guardar tal confiança. Quando essa confiança é traída, a ferida que se abre é muito grande, até mesmo a ponto da pessoa nunca mais poder confiar em líderes espirituais novamente, mesmo que eles sejam legítimos.

Uma situação análoga pode ser vista nas vítimas de incesto, que apresentam sintomas emocionais e psicológicos muito parecidos com os vistos naqueles que são abusados espiritualmente. O principal sintoma é a incapacidade que desenvolvem em se relacionarem normalmente com pessoas que representem ou tenha alguma associação mental com a fonte de sua dor emocional.

Além de desenvolverem medo e desilusão com relação a líderes religiosos, as vítimas de abuso espiritual muitas vezes têm dificuldade em confiar em Deus. Eles se perguntam, “como é que Deus pode ter permitido que isso acontecesse comigo? Tudo o que eu queria era amá-lo e servi-lo!” Muitas vezes, essas pessoas desenvolvem grande rancor. A raiva, por si própria, não é necessariamente pecado, pois até mesmo Deus se ira contra a injustiça (veja acima). Entretanto, se esse rancor não for progressivamente eliminado, ele pode estabelecer raízes de amargura e incredulidade com relação a tudo que seja espiritual.


Recuperando-se do Abuso Espiritual

Para que haja uma recuperação dos males causados pelo abuso espiritual, é preciso que a vítima entenda o que aconteceu, por que aconteceu, e como aconteceu. Ela também precisa entender que ela não é a única pessoa vitimada por esse tipo de abuso. Ela deve procurar grupos de apoio, e ser contínua e pacientemente ensinada sobre a graça de Deus. Os grupos de apoio são necessários não só para que a vítima seja ministrada pelo grupo, mas também para que ela possa usar sua experiência para ministrar a outras vítimas, o que é essencial para a sua recuperação.
A vítima também deve procurar eventualmente perdoar os que a abusaram. Normalmente alguns anos são necessários para que uma vítima de abuso espiritual possa ser totalmente restaurada.


Traduzido e adaptado com a permissao de Watchman Fellowship, Inc.Tradução e adaptação: Marcelo Parga de Souza

56 comentários:

Anônimo disse...

Isso é verdade tenho visto isso na minha pr´pria igreja, pena que não tenha um orgão pra que a gente possa denunciar esse abuso.
Só podemos denunciar pra Jesus. Será que ele vai tomar alguma providencia?

Anônimo disse...

Familias que estão dentro de determinadas igrejas a muitos anos se sentem assim a p´ropria besta do apocalipse "aquele que se senata no trono de Deus e fala com boca como se fosse Deus."

Anônimo disse...

Estamos vivendo os ultimos dias e as pessoas até mesmo da igreja gostam de ter poder, alias já pergutaram nos dias de Jesus quem se assentaria a sua direita ou a sua esquerda.
Este ano tive uma experiencia assim.
Jesus nos dá liberdade, mas os "donos " da igreja acham que somos escrevas deles.

Anônimo disse...

Pastor ou vaquinha de presépio.
Familias muito antigas na igreja fazem de pastores jovens , vaquinhas de presépio. Mandam e desmandam através dao aceito do pobre idiota.
E tratam pessoas que não são pau mandado como se fossem lixo, fazem até sermão especial pra eles. Cutucando e praticando abuso espiritual.

Anônimo disse...

O ABUSO ESPIRITUAL está sendo praticado em todo Brasil, de um lado pessoas querendo mandar de outro pessoas que não querem obedecer ai já viu, pra se vingar os pastores e líderes sobem nos pulpitos para praticar esse ABUSO ESPIRITUAL.Isso é obra do maligno, pessoas que praticam isso e Sadam Hushen estudaram na esma escola.

Anônimo disse...

Existem pessoas que tem o ego acima dos seus cornos, e quando não são obedecidas, se sentem como um rei humilhado.
Colocaram na igreja todas as suas cartas de sociabilidade e fazem da igreja o reino que não tiveram no mundo e ai dos suditos que desobedecem, pau espiritual neles.
Só quero ver quando Jesus voltar.

Anônimo disse...

Creio que Deus tratará com o mesmo rigor as pessoas que praticam tais ABUSOS ESPIRITUAIS e difamação.
Vão beber do próprio veneno.
AMEM

Anônimo disse...

Os praticante de Abuso espiritual devem ser tratadas da mesma forma com que trataram as pessoas que ficaram psicologicamente traumatizadas com a igreja, mas isso será obra do pai.

Anônimo disse...

Opressão por líderes intolerantes acontece nos países onde há terroristas. Dentro das igrejas tambem está acontecendo?
Sinais da volta de Jesus, líderes religiosos devem mostrar mansidão e amor por seus discipulados.

Anônimo disse...

Aconteceu isso com uma irmã que eu gosto muito, ela não queria fazer o que o Pastor pedia ai ele passou a perseguir ela e até falou no pulpito que Deus não aceitava suas ofertas.Houv3e difamção e muita coisa mais.
Ela saiu da igreja e foi pra Congregação Cristã.

Anônimo disse...

Na minha igreja um irmão começou a ter dificuldades financeiras e não podia masi devolver o dízimo gorda de antes. O Pastor e os anciões começaram a tratá-lo como um verdadeiro pecador quando ele mais precisa do apoio deles.

Anônimo disse...

Abuso Espiritual está acontecendo em todas as igrejas do Brasil.
Estamos sendo perseguidos pelas pessoas que dev3riam nos orientar quando esamos errados, ou inves disso estamos sendo punidos por sermos imperfeitos, mas Jesus veio pelos imperfeitos e não pelos justos.

Anônimo disse...

Os líderes espirituais hoje em dia não tem nada de espirituais e gostasm de ter sua bundinhas lambidas, quem não faz isso acabe sendo castigado e abusado.

Anônimo disse...

Que coisa, legal este texto, isso tava ancontecendo a muito tempo na nossa igreja , mas ninguem tinha coragem de falar, gostei do texto, isso agora precisa ser debatido.

Anônimo disse...

Pastor maligno faz isso sempre, vcs acham que dentro da nossa igreja nõs existe muito pastor satanico, existe sim.
Cada um mais engano que o outro do seu "PODER" mas esperem pra ver vamos orar todos pra que Deus nos livre desse tipo de legão satanica.

Anônimo disse...

O sábio cuida do próprio nariz, gente assim quer comandar o mundo, mas não contrla sua própria indole, vaõ todos pro inferno.
Líderes desgraçados e enganadores que sófazem as pessoas sofrerem ao íves de levar Jesus.

Anônimo disse...

AMEI O TEXTO, PALAVRAS SÁBIAS.
RELIGIÃO NENHUMA TEM DIREITO DE SEVICIAR SEUS MEMBROS.DEVERIA TER PUNIÇÃO PRA ESE TIPO DE ABUSO.

Anônimo disse...

Vergonhoso, religião deveria levar paz e perdão. E não se mostrar intolerante

Anônimo disse...

Antigamente riamos juntos relembrando os erros do passado.Hoje o passado está sempre presente na memoria de gente vingativa e intolerante. Deve haver punição, mas há medo de denunciar e ser repreendido mais uma vez.

Anônimo disse...

Esse tipo de líder intolerante e que usa o pulpito pra cutucar deveria ser afastado da bra de Deus.

Anônimo disse...

Que situação!!!!!
Será que a pessoa que pratica esse abuso não teme a Deus?
Ela deveria pedir perdão ao alvo desse abuso e não praticar mais.

Anônimo disse...

Façamos uma grande corrente de oração pra que isso acabe dentro da nossa igreja.

Anônimo disse...

Que vergonhoso!
Deveria ter um tópico no Advir para podermos fazer denuncias anonimas de pastores e líderes que praticam tais abusos, e as denuncias deveraim ser levadas para as associações.

Anônimo disse...

Fiquei atonita quando li, é isso que estão fazendo comigo na minha igreja.
O pastor sobe no pulpito e fica cutucando, fica me excluindo e falando mal de mim pros outros membros.

Anônimo disse...

DEnuncia tem que haver alguma maneira de denunciar.
Em EVENTOS FINAIS Ellen White é clara ao citar que essa naipe de gente não verá a alva, pessoas que oprimem quando Jesus veio para ajudar, pessoas que machucam quando Jesus veio sarar, são pessoas que serão excluidas do reino de Deus.

Anônimo disse...

E lamentavel que no meio adventista ainda esta tao presente esta figura despotica. O pastor ou anciao nao se da conta do mal que faz 'as pessoas. Destruindo as vezes de maneira permanente a vida das ovelhas do redil

Anônimo disse...

QUE VERGONHA.
QUE VERGONHA QUE VERGONHA.
SERÁ QUE OS PRATICANTES DE TAL ATROCIDADE ESTÃO SEGUINDO AS ORDENS DE CRISTO QUE DIZ:
APACENTA MINHAS OVELHAS.
ESTES ESTÃO DISPERSANDO.

Claudia Lima - Belo Horizonte MG disse...

Fui Adventista durante 12 anos, depois destes 12 anos Jesus me abençou muito e passei a ser perseguida pela famila mais forte da igreja creio que eles tinham medo de perder o poder que o dinheiro dava pra eles já que meus dízimos passaram a ser consideralvelmente igual ao deles.
Houve muita calúnia e difamação.
O Pastor da epoca entrou na onda deles e qualquer coisa que eu fazia não era reconhecida, essa familia começou a dizer que eu estava devolvendo somente 5% dos meus lucros.Eu não tinha nenhuma intenção de roubar o trono terreno deles, alías nem era da minha índole subir no pulpito, ou fazer qualquer oura coisa pra aparecer.Sempre fiquei quieta no meu canto apenas defendendo os direitos dos meus filhos.
Hoje sou Batista do Sétimo dia.Esse négocio de igreja verdadeira é roubada, lavagem cerebral pra vc não sair da Adventista, Deus está onde há amor, ainda tenho muito rancor dessa igreja e daquela familia.
Creio que na perseguição eles e aquela Pastor vão ficar do lado do dinheiro por que é isso que interressa pra eles.
Acima das profecias está o amor.
Depois disso tudo não queria mais saber mais de religião, mas Jesus mandou uma Batista do Sétimo dia pra me tirar daquele buraco negro.
Ao invés dos Adventistas ficarem felizes com as bençãos que Deus me dava eles ficavam cada vez mais enfurecidos.
Deus é amor!
O povo de Deus está onde há amor verdadeiro.

Cristina Marquez-Congonhas do Campo disse...

Fui Adventista 15 anos, agora estou na Congregação.
Uma vez questionei o Pastor da minha igreja sobre a famìlia que era dona da igreja, foi só isso pra começar a perseguição, no outro ano fiquei sem meu cargo.
A panelinha da igreja não falava mais comigo era com o se eu tivesse questionado o próprio Deus.
Minha vida na igreja Adventista acabou.
Estou a 6 anos na Congregação e tenho a certeza e a fé confirmada que Deus e Jesus estão comigo.
Já presebciei coisas horríveis que aconteceram com aquela familia e eu estou feliz, vivendo uma fé verdadeira.
Deus seja louvado!

Janira Soarez-Belem-PA disse...

O que adianta guardar o sábado e oprimir almas com difamação e falso testemunho.
DESPOTAS.
DESPOTAS

Virginia Leite=-São Paulo disse...

Acredito que com o afastamento do Espirito Santo, isso vai ficar mais latente dentro de nossas igrejas, as pessoas irão procurar poder e não santificação dentro de nossos templos.

Anônimo disse...

como todos nós somos sabedores que nos últimos dias havaria um declínio total da falta de amor ao próximo, não é de se estranhar que no meio do povo de Deus também houvesse o fogo estranho, por isso prepara-te o nosso Senhor Está às portas e guarde o teu coração!

Anônimo disse...

Ótimo artigo, Virgilio.
Isso me lembra de Opus Dei, Igreja Católica e Adventismo da Reforma

Maranatha!
Ele logo virá!

Daniel Souza Lima. Adventista do sétimo-dia.

Abigail Lunare-São Paulo-SP disse...

Que importa se existem despotas e pastores mercenários dentro de nossas denominação, o mais importante é que eles não entraram no Reino de Deus.

Jeronimo Silva-Chile disse...

Sou pastor Adventista há 35 anos.Todos os anos ganho 25 almas ou mais pra Jesus, Se ganhamos almas com tanto esforço, por que destruir a fé delas com palavras assassinas, temos que respeitar a capacidade e a hora de cada uma, as ovelhas tem que descansar até ter lã novamente para ser tosquiada, quando umas estão a todo vapor há outras que estão cansadas, temos que fazer um rodízio sempre, não são sempre as mesmas ovelhas que devem estar em posição de dar frutos.E enquanto outras estão descansando devemos amá-las.
Creio na ira de Deus e não me vingo a mim mesmo e nem tão pouco a outros. Entrego nas mãos de Deus.(cada um tem seus tempos de amar e de ser amados) por que Ele é quem se vinga por nós. A visão do homem não é a visão de Deus , as vezes o inimigo anuvia para que vejamos coisas que não existem e nos tormemos mercenários, mas Deus está a frente de tudo ele quer nos salvar de sermos injustos, mas para isso é preciso sabedoria, não devemos depositar nossas espectativas nas pessoas e sim em Deus ele é que proverá ovelhas capacitadas, assim não machucaremos nenhuma respeitando o tempo de cada uma delas.
Não coloco assuntos pessoais e problemas entre irmãos nos meus sermões, Esses problemas devem ser resolvidos em casa(roupa suja se lava em casa)Mas já vi muito pastor covarde que não conversa com os membros, Cada lado tem sua verdade, mas quando está no pulpito destila tudo ali esquecendo da mensagem de amor de Deus.

Anônimo disse...

Existem pastores dirigidos por Deus, outros se deixam dirigir pelos poderosos da igreja, destes só podemos esperar desgraças.
Júlio Marcelo-RS

Matheus Bruum-SC disse...

Os pastores que se deixam dirigir por tradição de determina igreja esta concentindo na obra de satanás.Assim eram os ecribas e fariseus, cheios de tradições e hierarquias.

Carlão da Neide-SP disse...

Vírgilio, foi muito bom ler isso num site adventista. Estamos crescendo.
Fala com o pessoal do Advir pra criar um local no site onde se possa fazer denuncias anonimas contra pastores e líderes despotas.
Abração.

Misack Lacerda-SP disse...

O Espírito Santo está se distanciando e vemos isso tambem nas igrejas adventistas.

Jaime Tavares.Ribeirão Preto-SP disse...

Muitos Pastores estão resolvendo seus desafetos no pulpito que é lugar santo, uma maneira de falar e não deixar que o outro se defenda já que se esconde atrás deste objeto para apontar dedos. Os desafetos devem ser resolvidos não neste lugar sagrado que é usado para falar do sacrifício de Jesus, mas em particular em lugar pre estabelecido e acompanhado de um ancião, é muita covardia se esconder atrás do palanque da igreja e não deixar que o outro se defenda.Ellen White diz que muitos loucos iriam se levantar na hora do culto, mas agora sabemos por que estarão sendo atiçados para tanto.

Marisa Chatobriant-Piracicaba-SP disse...

Sou Adventista de berço mas estou ha 5 anos na Batista do Sétimo Dia.
Tudo aconteceu por que o Pastor da epoca queria que eu fizesse alguma coisa na igreja e eu estava muito cansada por causa de uma forte crise financeira que estavamos passando, ele queria tosquiar minha pele já que não havia lã ali.
Devemos preparar melhor os pastores de nossa igreja, nos últimos dias não será preciso tanta afobação para ganhar almas, será impossível diz Ellen White mas depois de algum tempo as próprias pessoas vão começar a entrar na igreja e pedir o batismo sem que seja necessario irmos atrás delas.Será maravilhoso, eu mesma creio que voltarei a igreja Adventista quando chegar a hora certa, mas por agora estou muito machucada com tudo que passei ali.

Anônimo disse...

O pastor da minha igreja é birutinha birutinha ele trata de uma forma as pessoas que tem dinheiro e de outra as que não tem e acha que ninguem nota.

Mrs.Goube Forest. disse...

Na verdade esse é um assunto muito sério, pastores querem mostrar seu poder e não sua santificação.
Conheci um pastor que cercava a pessoa que ele não gostava de todas as formas deixando a pessoa sem ar, ai as pessoas acabavam saindo da igreja e ele adorava quando isso acontecia, dizia "se não é por nós é contra nós" .Se foi embora é por que não era de Cristo. Tenho pena da quantidade de sangue que ele tem nas mãos por que isso pra mim é assassinato.

Mariele Pinho Joinvile-SC disse...

Este é um fato que está acontecendo na igreja Adventista tambem, O espírito de Deus está se afastando e as pessoas querem usar da força de seu poder para dominar as pessoas esquecendo-se que o espírito de Deus é tolerante e longamino e amoroso.

Anônimo disse...

Arri égua! Gostei demais disso aqui, é verdade isso é verdade.Está acontecendo em todo Brasil.

Anônimo disse...

O que uma pessoa faz com seu salário é problema dela. Pastor nenhum tem o direito de se meter no dinheiro das´pessoas devem ensinar a amar Jesus atraves do amor que o Pastor concede as pessoas assim eles vão ofertar mais, pastor que machuca as ovelhas querendo tirar ~sustento delas não consegue nada.

Nidia Soares disse...

Que coisa feia, isso não ocorre só nas igrejas do mundo isso tambem ocorre nas igrejas Adventistas cada dia mais.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Márcia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
WS Company Advogados disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado