domingo, 23 de janeiro de 2011

O prazer psicológico de comprar


Encontrar uma pechincha ou esbarrar com uma liquidação na hora das compras proporciona um alto grau de excitação emocional.

A felicidade nessas circunstâncias é tão intensa que se ativa a mesma região do cérebro estimulada pelo sexo, aponta uma pesquisa da Universidade de Westminster, no Reino Unido, publicada na revista especializada em consumo "The Grocer".

Os pesquisadores britânicos chegaram a conclusão da relação entre compras e satisfação após registrar e medir a atividade cerebral de 50 voluntários divididos em diferentes grupos e propôs diferentes atividades, desde fazer compras até assistir a um filme erótico.

Para a investigação, os pesquisadores tiveram a ajuda de uma equipe de acompanhamento para medir a dilatação da pupila e o movimento dos olhos, num sistema denominado iMotion que avalia as respostas emocionais do corpo humano em uma escala de 1 a 10, e com o qual o tipo de emoção que se sente ao observar imagens eróticas recebe uma pontuação de entre 5 e 7.

Os voluntários que ganharam um audiobook geraram uma pontuação de 5,8, enquanto aqueles que passaram por uma liquidação ou uma oferta, como um simples desconto no leite ou em outro produto do supermercado, também tiveram sensações gratificantes que pontuaram alto na escala do sistema iMotion.

Os especialistas de Westminster concluíram que aqueles participantes que encontraram um cupom ou receberam um brinde ou promocão sentiam tanto entusiasmo como ao ver um filme erótico, já que sua pontuação na escala emocional era idêntica.

O estudo, impulsionado pelo Instituto de Marketing Promocional da Universidade de Westminster, também concluiu que há uma elevada correlação entre a resposta emocional de uma pessoa às promoções comerciais e um aumento das vendas dos produtos.

"A maioria das decisões de compra é tomada nos primeiros dois segundos. Se podemos
captar a atenção das pessoas fazendo com que olhe um produto durante esse breve período, provavelmente vão conquistar o cliente durante mais tempo", afirmou Jon Ward, analista em marketing, ao comentar o estudo de Westminster.

Por Rocio Gaia

9 comentários:

ARCTURUS disse...

É por isso que o apelo sexual nas mídias são intenso...
Se o cérebro reage assim....
Prefiro contemplar a promoção e oferta de na Cruz e na Pessoa de Jesus, elevando o pecador para uma santa e doce eternidade. Isso me excita a minha Salvação.

Att Jackson
Parabéns pelo artigo

Anônimo disse...

Olá, gostei mto dos seus textos. Acredito que todos nós precisamos de auxilio de um profissional quando perdemos o controle de nossas atitudes. Gostaria de conversar melhor com vc. Por favor, me envie uma mensagem em k_lopescastro@hotmail.com obrigada!

Gabriela disse...

Olá paz muito bom seu conteudo Deus continue abençoando ja estou seguindo seu blog. abraços
http://blogandodemadrugada.blogspot.com/

Anônimo disse...

ola bom dia esse dia que voce esta passando hoje. o presente. gostei do documento apresentado em seu blog.
e faço uma pergunta. essa pesquisa se repetida para uma confirmação pode apresentar alguma diferença e ser for grande não tera a mesma validade? ate quanto posso confiar nessa possibilidade...?

Israel Leal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Senhor Virgilio!!!
Gostaria de saber se "sexo oral", dentro do casamento, é lógico é pecado ou não;onde encontro respostas no Espírito de profecia que me seja satisfatória.
Aguardo sua resposta...

Anônimo disse...

Senhor Virgilio!!!
Gostaria de saber se "sexo oral", dentro do casamento, é lógico é pecado ou não;onde encontro respostas no Espírito de profecia que me seja satisfatória.
Aguardo sua resposta...

Israel Leal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PinKie disse...

Este estudo é a prova do consumismo exacerbado em que vivemos...é fascinante perceber até que ponto o ser humano se seduz por tudo aquilo que é material.